quarta-feira, 29 de outubro de 2014

VOCE É UM BOM TUTOR?

Reynaldo Velloso publicou em 4 grupos.
VOCÊ GOSTA DE CÃES OU GATOS?
Tutelar um animal doméstico é muito mais do que prover água, comida e uma casinha: é desenvolver uma relação de amor e companheirismo.

Os cães e os gatos trazem felicidade e carinho para quem cuida deles, pedindo muito pouco em troca: apenas amor e atenção! Mas eles também precisam de cuidados básicos que um bom tutor deve observar.

Clique no link e veja a matéria completa:
http://www.mundofaunaflora.blogspot.com.br/
VOCÊ GOSTA DE CÃES OU GATOS?

Tutelar um animal doméstico é muito mais do que prover água, comida e uma casinha: é desenvolver uma relação de amor e companheirismo.

Os cães e os gatos trazem felicidade e carinho para quem cuida deles, pedindo muito pouco em troca: apenas amor e atenção! Mas eles também precisam de cuidados básicos que um bom tutor deve observar.


Clique no link e veja a matéria completa:
http://www.mundofaunaflora.blogspot.com.br/

Tutelar um animal doméstico é muito mais do que prover água, comida e uma casinha: é desenvolver uma relação de amor e companheirismo.
Os cães e os gatos trazem felicidade e carinho para quem cuida deles, pedindo muito pouco em troca: apenas amor e atenção! Mas eles também precisam de cuidados básicos que um bom tutor deve observar.
Comida e água
Este é o básico do básico, mas pode crer que muitas pessoas não alimentam corretamente seu animal.
O melhor tipo de comida para ele é a ração, pois ela possui os nutrientes que ele necessita. Pesquise o melhor lugar para comprar e escolha uma marca confiável que caiba no seu orçamento.
Quem alimenta seus animais com comida deve ter muito cuidado, pois eles podem desenvolver vários problemas relacionados ao excesso de sal e gordura.
A água deve ser trocada diariamente e o pote limpo. Nos dias mais quentes, redobre a atenção para não faltar água para seu animal.
Se o seu animal doméstico puder ficar dentro de casa, melhor! Providencie uma caminha ou almofadão para ele ficar confortável e lembre-se de sair com ele ou deixar um acesso ao pátio para que ele possa fazer suas necessidades.
Se ele ficar no pátio, certifique-se de que ele não consiga ir para a rua, pois lá ele corre diversos riscos como atropelamento, maus-tratos, brigas e envenenamento.
Ele deve ter uma casinha que proporcione conforto térmico tanto no verão quanto no inverno. No verão, o ideal é posicionar a casinha onde tenha sombra; no inverno, não esqueça de providenciar uns paninhos ou cobertores para ele se aquecer.
Muito importante é manter o local sempre limpo, livre de pulgas e restos de fezes.
Identificação
Logo que você adota um animal, já deveria providenciar uma coleira com uma plaquinha de identificação, trazendo o nome dele e um telefone para contato.
Nunca imaginamos que nosso animal vá escapar ou se perder, mas isso acontece muito e a preocupação e a tristeza da perda podem ser evitadas facilmente com essa atitude preventiva.
Se você mora em apartamento, a instalação de telas é fundamental para proteger seu animalzinho. Gatos, embora sejam muito hábeis, podem pegar no sono e cair dos lugares altos, sofrendo fraturas ou até morrendo.
Higiene
Para os cães, o ideal é tomar banho de 15 em 15 dias, principalmente se ficarem dentro de casa. O banho dado com xampus especiais é um bom aliado para manter as pulgas distantes.
No inverno, é mais difícil de secar completamente sua pelagem, por isso o ideal é levá-los em pet shops, onde são limpos por pessoas experientes nessa função. A escovação ajuda a manter o pelo em ordem e remove os excessos.
Já os gatos raramente precisam de banho, a não ser aqueles com pelo longo. Além do banho, lembre-se de limpar as orelhas deles e aparar suas unhas.
A rotina de higiene também é importante para você observar o seu animalzinho. Assim, se notar algo estranho, pode levá-lo o quanto antes para avaliação veterinária.
Vacinas e remédios
Existem muitas doenças que podem vitimar os animais e, como medida preventiva, existem as vacinas. Consulte um veterinário para saber quais vacinas seu animal precisa tomar e lembre-se de manter a carteirinha dele em dia.
Ele também vai precisar de remédios contra os vermes e contra as pulgas. É fundamental seguir as prescrições e a frequência indicada pelo médico. Não se esqueça, essas são medidas preventivas que valem a vida do seu animal doméstico.
Os cães tem muita energia para brincar e gastar, além do espírito explorador. Passear com eles diminui a ansiedade e é um exercício de liderança. Procure fazer um passeio diário, mesmo que seja uma volta no quarteirão.
O animal deve passear sempre com coleira e guia. Se ele demonstra agressividade com estranhos, o ideal é que use uma focinheira para evitar riscos desnecessários.
Não esqueça  de sair sempre com uma sacolinha para recolher coco. É muita falta de consideração com as outras pessoas e com o ambiente deixar as cacas do seu animal doméstico largadas pela rua.
Cinto de segurança
Se você pretende levar seu animal em viagens, ou anda muito com ele no carro, compre um cinto de segurança para seu cão ou uma caixa de transporte para seu gato.
Você estará prezando pela segurança dele e pela sua. Chegou o período de férias da família… Surgiu uma viagem de negócios… Você precisa viajar, não pode levar o animal e ninguém vai ficar em casa – o que fazer com o animal doméstico? O engano mais comum é achar que é suficiente pedir para um vizinho ou parente ir até a sua casa a cada 2 dias largar um monte de ração e água.
Existem várias alternativas que você deveria considerar antes disso e a primeira coisa a pensar é que o animal não deveria ficar sozinho.
Castração
Uma das maiores demonstrações de amor pelo animal é garantir que ele seja castrado o mais cedo possível – a cirurgia é segura após os 4 meses de idade.
A castração evita que as fêmeas entrem no cio, diminuindo muito as chances delas desenvolverem tumores mamários e infecções uterinas.
Para os machos, a cirurgia reduz a agressividade e a necessidade de marcar território com o xixi, além de evitar que fujam atrás de fêmeas no cio.
                                                                FONTE:  Portal A Crítica