sexta-feira, 13 de fevereiro de 2015

TANIA! FILIE-SE A UMA ONG COM CNPJ EM MANAUS RAPIDAMENTE!

Denunciada e sem apoio, protetora de cães em Manaus pode ter animais sacrificados
Cinquenta e seis cães resgatados das ruas estão prestes a perder o abrigo e serem sacrificados. A denúncia foi feita pela protetora da causa animal Tânia Mussa, 56, que tem o prazo de 30 dias – atribuído em notificação do Centro de Controle de Zoonoses (CCZ) – para os animais serem retirados do canil construído por ela na rua Leovegildo Coelho, Centro, Zona Sul.
 
Tânia Mussa e alguns dos seus cães, retirados das ruas e tratados: sem ter auxílio, ela pode perder os animais para a eliminação no CCZ. Seu sonho é obter um local para criá-los – foto: Alberto César Araújo.

"Denunciaram o barulho, mas não é constante. Eles latem somente quando aparece uma pessoa estranha. Mas, depois que fiz o canil aqui em casa, a situação melhorou muito. E os animais nos protegem, porque anunciam quando tem alguma pessoa estranha. Antes, a praça dos Remédios não tinha muito policiamento”, afirmou a protetora.
Ela apontou que a denúncia foi feita ao CCZ por um homem que se apresentou como juiz da Vara de Meio Ambiente e que não teve o nome revelado. Na terça-feira (3), ela disse ter recebido a visita de um funcionário do CCZ, informando-a que ela teria sido denunciada e teria um prazo de 30 dias para se livrar dos cães, caso contrário eles seriam enviados para o sacrifício. O funcionário teria dito também que ela poderia abrigar apenas dez animais.
"Ele chegou me intimidando, dizendo que chamaria a polícia, caso eu não o deixasse entrar em casa para retirar os animais. Falou também que eles seriam sacrificados porque o CCZ não é abrigo. Isso não é certo, eu disse para ele que o CCZ deveria fazer o trabalho que eu faço”, desabafou Mussa. Os animais abrigados no canil construído pela protetora foram resgatados em estado crítico das ruas, doentes e desnutridos.
Ela contou que investe recursos próprios e da família dela em vacinação, higienização e alimentação dos cães. Ela também paga dois funcionários para auxiliarem na limpeza do local e no banho dos animais."Eu precisaria de um advogado para ajudar a salvar os bichinhos. Não posso deixar que sejam sacrificados. Sonho em conseguir um pedaço de terra para construir abrigo para eles”, afirmou.
Dívidas acumuladasPor se sensibilizar com o sofrimento dos cachorrinhos nas ruas, ela tem acumulado dívidas na tentativa de salvá-los. "Peço ajuda e as pessoas no dia [de um resgate] tem pena e depois se esquecem do caso, e nós que queremos saber de salvar, ficamos com dívidas. A gente vai fazendo o que não pode salvar o animal”, ressaltou.Há 27 anos, Tânia desenvolve trabalho de proteção aos animais.
"Quando criança, sempre tive cachorro. Em São Paulo não fazia resgate, mas quando eles apareciam na porta de casa nos dias de chuva eu ajudava. Nesta época  tive nove cães”, disse.
Ao viajar para Manaus, ela ficou abismada com a quantidade de animais abandonados nas ruas e os maus-tratos que eles sofrem.  Para ela, é preciso que a população tenha consciência e que as ONGs se unam mais ao desempenhar seus trabalhos."Sem o apoio da população fica muito difícil.  Somos uma média de 5 mil envolvidos com a causa, mas quando marcamos uma reunião com o prefeito, aparece meia dúzia, isso enfraquece o movimento”, lamentou.
O Departamento de Vigilância Sanitária (DVisa), da Secretaria Municipal de Saúde(Semsa), informou que a legislação proíbe a criação, o alojamento e a manutenção de mais de dez animais, no total, das espécies canina ou felina, com idade superior a 90 dias. O CCZ não se pronunciou até o fechamento desta edição.
Fonte: EmTempo
 http://direitosdosanimais.org/website/noticia/show.asp?pgpCode=8D447A82-6C28-63C0-0F1C-AC699EF1D6A8#.VNz_Aj6DbTh.facebook

quarta-feira, 11 de fevereiro de 2015

OAB pede ao MP ação de dano moral coletivo contra agressor de cachorros no RJ


AGRESSÃO AOS CÃES NA BARRA DA TIJUCA/RJ
Ontem(10), estive ao vivo na Rede Record comentando o caso da agressão aos animais na Barra da Tijuca, sobre a ineficiente legislação de proteção aos animais no Brasil e a nova tese que defendo de uma proposta de ação de dano moral coletivo em casos desta similitude. Falei também sobre a articulação que faremos entre a Comissão de Proteção e Defesa dos Animais OAB RJ, o Ministério Público e a Justiça do Rio de Janeiro para avançarmos na causa animal.
O Programa Hoje em Dia foi apresentado por Cesar Filho.
Clique no link para assistir a entrevista.

Reynaldo Velloso explica por que o empresário que agrediu os cães da sua namorada, no Rio de Janeiro, deve responder por dano moral coletivo. Veja!

http://entretenimento.r7.com/hoje-em-dia/videos/oab-pede-ao-mp-acao-de-dano-moral-coletivo-contra-agressor-de-cachorros-no-rj-10022015