domingo, 28 de dezembro de 2014

Homeopatia animal - Programa Rio Grande Rural

Eles sentem o mesmo que todos nós

Sempre indago quem outorgou ao ser humano o livre-direito de explorar, subjugar, maltratar, assassinar um animal por esporte, por lazer (caça e pesca esportiva) ou matá-los para alimentação.  Quem foi que nos outorgou este "direito" e privilégio?
 
 

Costumo insistir naquilo que é necessário para o despertar de uma nova consciência pelo bem dos animais. Como o sol que surge ao nascer de cada dia, torna-se indispensável o renascer das ideias que incitam a vida, o pleno direito dos outros seres sencientes viverem sem a perseguição contumaz de humanos crueis e desalmados.
 
Senciência animal é tema fundamental para que possamos modificar todos os velhos e superados conceitos sobre a vida deles.   Por isso, estudo diariamente a fim de melhor entender e levar ao leitor informações qualificadas.  A vida é uma importantíssima escola para a nossa evolução e a preservação da vida na Terra em amplo espectro.
 
Com os proficientes estudos de neurocientistas desvendando o que era antes insondável no mundo animal, hoje sabemos que todos os mamíferos, todos os pássaros e outros de espécies diferentes, como o polvo, por exemplo, possuem estruturas nervosas que produzem a consciência.  Todos os animais são seres sencientes e não pairam mais dúvidas sobre a questão.
 
Um cachorro quando demonstra alegria ao ver seu tutor, são ativados naturalmente em seu cérebro estruturas semelhantes às mesmas estruturas que existem no cérebro humano.  O mesmo ocorre quando sente dor, medo, etc.
 
Citei acima o polvo - este animal possui 500 milhões de neurônios - os humanos possuem em torno de 100 bilhões e, com isso, segundo a Ciência, a estrada está construída para produzir-se consciência sintética, algo inimaginável há algumas décadas.   A neurociência deu passos largos no estudo e entendimento da complexidade cerebral, embora ainda haja muitos mistérios a ser revelados.
 
Há uma tendência natural da espécie humana em pensar que o mundo nos foi concedido por Deus.  Todavia, esquecemos ou fingimos não perceber que os animais também têm direito à vida.  A concepção antropocêntrica de que somos o centro do mundo, o divisor de águas, os melhores e mais capacitados está totalmente superada.  O especismo não cabe mais nos dias de hoje, quando temos suporte para estudar e entender que os outros seres vivos também são criaturas da mesma divindade e, portanto, precisam viver, tendo sentimentos, consciência e emoção.
  
Segundo o dr. Marc Bekoff, do corpo docente da Universidade do Colorado, as características consideradas exclusivamente humanas, como a capacidade de sentir emoções e tomar decisões morais, estão espalhadas em todo reino animal e complementa, afirmando que os animais têm sentimentos complexos e profundos, como alegria, mágoa, tristeza, vergonha, ressentimento, empatia e compaixão.  Eles também diferenciam o certo do errado e se sensibilizam pela dor e alegria dos outros animais.
 
O luto dos animais, a adoção de um por outro de espécie diferente, não é ato de instinto - é sentimento profundo que nós conhecemos como ...amor!
 
Vou sugerir às autoridades, vou trabalhar intensamente para tentar inserir na grade escolar em todos os níveis a senciência e direito dos animais.  Não deixo de fazer a minha parte, pois tenho plena convicção que eles sentem o mesmo que todos nós.
 
Por: Gilberto Pinheiro
Jornalista, palestrante em escolas e universidades
sobre a senciência dos animais, integrante da CPDA/OAB,
Comissão de Proteção e Defesa dos Animais da Ordem Dos Advogados
do Brasil, seccional Rio de Janeiro

  APOIADORES
© Copyright 2014 | Direitos dos Animais | Todos os direitos reservados | Termos de uso | Design: Ellementto-Arte | Programação: 5dot

quarta-feira, 17 de dezembro de 2014

Crueldade humana

31.486 visualizações
This undercover video taken by MFA at a Canadian veal factory farm resulted in animal cruelty charges filed today. Read more: http://www.mfablog.org/breaking-cruelty-charges-filed-follo…
  • PURA COVARDIA!
  • Vitela um prato fino, caro e visto como “chic”, mas acima de tudo cruel. Foi criado para “aproveitar” os bezerros descartados pela indústria do leite.
    A produção de leite também implica em crueldade com os animais. Milhares de bezerros são mortos, criados em gaiolas minúsculas para que não desenvolvam nem enrijeçam músculos, a fim de serem abatidos e vendidos como vitela, considerada uma carne nobre por sua maciez.
    Pra que a vaca possa produzir o leite que bebemos, acabamos por ser cúmplices da produção dessa insanidade.
    Sem direito ao leite, para que os humanos o bebam. Sem direito ao Sol.
    Sem direito a caminhar. Sem direito a chegar a um ano de vida.

terça-feira, 16 de dezembro de 2014

Queremos rações sem sofrimento e transgênicos, para os nossos animais

Queremos rações sem sofrimento e transgênicos, para os nossos animais
 
2.000
1.487
1.487 assinaturas. Vamos chegar a 2.000

Por que isto é importante

Não queremos contribuir com a matança e o sofrimento de milhões de animais, para alimentar os nossos. Amamos e respeitamos todos eles.
Postado novembro 1, 2013
Criado por
Plínio Ganzer M. Brasil
A ser entregue para:
Fábricas de ração do Brasil e do exterior
Assine a Petição  
Prezados Senhores: Sabemos que já é possível desenvolver rações éticas, sem restos de animais e transgênicos. Nos é imensamente penoso prezar pela nossa alimentação, e ter que alimentar os nossos animais, contribuindo com a morte e o sofrimento de outros. Chega! Sabemos que esse resto da alimentação humana é usado não por ser a melhor opção, mas sim pelo seu baixo custo. Assim sendo, solicitamos, com a maior brevidade possível, que ofereçam alimentos verdadeiramente saudáveis, éticos e ecológicos para os nossos bichos. Acreditamos que os senhores, como industriais que são, tenham visão de mercado, e essa é uma demanda crescente neste país e no exterior. Atenciosamente, Os Peticionários.
 
Coloque seu endereço de email
 
 



Avaaz.org protegerá sua privacidade. e te manterá atualizado sobre isso e campanhas similares.

quinta-feira, 11 de dezembro de 2014

FELICIANO FILHO QUER PROIBIR USO DE FOGOS PRÓXIMO A ANIMAIS

 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 

Amigos,

Protocolei na manhã desta quarta-feira (25) um projeto de Lei que proíbe o manuseio, a utilização, a queima e a soltura de fogos de artifício e artefatos pirotécnicos em eventos realizados com a participação de animais, ou em áreas próximas a locais onde se abrigam animais. 

O recente acidente ocorrido no rodeio de Hortolândia terminou com a morte de seis cavalos, de Beethoven, o cão mais conhecido de Campinas, e com nove pessoas feridas, sendo uma em estado grave. O acidente envolveu dez carros na SP-101. Os cavalos, que participariam da Festa do Peão de Hortolândia, fugiram do confinamento e invadiram a estrada após se assustarem com o show pirotécnico do próprio evento.

E nesta semana tomamos conhecimento da morte do cão Douglas, em decorrência do pânico causado pelos fogos durante o jogo do Brasil, na última segunda-feira (conheça sua história aqui: https://www.facebook.com/naosoltemfogos)

Com esse projeto, fica vetada a utilização de qualquer tipo de fogos de artifício num raio de 2 km de rodeios, cavalgadas, eventos de exposição/venda de animais, qualquer local que abrigue, exponha, ou conte com a participação de animais; canis públicos, ou privados, abrigos, zoológicos, santuários, matas e parques públicos e áreas de preservação permanente. Também veda fabricar, transportar e soltar balões que possam provocar incêndios nas florestas.

O barulho causado por espetáculos desta natureza causa pânico e desorienta os animais, vez que eles possuem uma sensibilidade auditiva muito superior ao ouvido humano. A vibração resultante dos sons geralmente atinge um tom muito agudo na natureza, proporcionando uma sensibilidade nos animais e resultando principalmente na fuga do que eles consideram como predadores. Além disso, em decorrência do pânico causado, muitos animais podem sofrer paradas cardiorrespiratórias, convulsões e ter diversos problemas que podem levá-los à morte.

A multa para quem infringir esta Lei pode chegar a 60 mil reais, para pessoa física, e 200 mil reais, para pessoa jurídica, dobrando em caso de reincidência. Empresas podem também ter suas atividades interditadas.

O projeto entra em tramitação e será avaliado pelas comissões competentes antes de ir a votação em plenário.

Um abraço a todos.

quarta-feira, 10 de dezembro de 2014

ABATEDOUROS: Centros de Tortura Animal

23 h ·
Video summary of Animal Equality's investigation into slaughterhouses in Spain, released at the beginning of 2008.

terça-feira, 9 de dezembro de 2014

quinta-feira, 4 de dezembro de 2014

SEJA VEGANO POR AMOR AOS ANIMAIS!

A cruel cultura chinesa de comer cães, esbarra na nossa cultura de comer outros seres.

quarta-feira, 3 de dezembro de 2014

Para o mundo acidental a cultura de comer cachorros é extremamente agressiva e chocante, porém quem somos além de carnívoros, que também matam seres com a mesma finalidade, saciar  a fome, e podemos dizer totalmente fora do contexto necessidade.  A nossa incapacidade de gerenciar a própria razão nos faz assassinos em potencial, pois hoje o ser humano é o maior predador da face da terra, e em contra partida somos sentimentalistas também quando o assunto é bichinho bonitinho, não há coerência, há discrepância, digamos eu amo uns e como outros? Não há sentido quando nos chocamos ao ver cães em mesas chinesas dilacerados por machados e ao mesmo tempo nos deslocarmos de casa ao açougue e compramos um quilo de carne bovina, suína ou de aves, qual a diferença? Posso responder sem pensar muito. Sua mente não pensa e nem obedece a sua razão, hoje você recebe ordens de um sistema coletivo, que o faz aceitar o que é certo ou errado, não pela lógica, mas pela necessidade de se produzir capital para que alguém acumule. O ser humano é um eterno consumidor e infelizmente os animais entraram na sua lista de consumo.
Sua inoperância de entender o próprio comportamento é um desvio social, é uma conduta fabricada, tipo uma  engenharia social, essa o faz aceitar coisas horrendas como normais e o inverso. Motivo, manter a ordem monetária onde muitos  não tem nada e uma minoria possui muito.
Na china por ter uma mega população, qualquer meio de alimento extraído da facilidade de plantar e colher, criar e matar se faz por demanda, um povo tão imenso terá que suprir suas necessidades, mesmo que meio a isso se faça coisas que não são necessárias como matar. A ignorância e a miséria são forças que agem em conjunto com a destruição de todo sistema, partindo da falta de respeito ao próprio ser humano e todo bioma existente a sua volta. Chineses é um exemplo clássico de bernes humanos, onde são bilhões e destroem tudo a sua volta por uma  cultura de subsistência destruidora e por fim devorando também seu próprio habitat. Digamos que tecnologia não supra seu composto de adversidade   de seres, entre   vegetais e todo tipo de vida que compõe o bioma.
O Brasil tem parcela populacional bem menor que os chineses, mas estamos em crescimento exponencial em um país de dimensões continentais e tende a ter também uma mega população.  Hoje possui o maior matadouro do planeta, a Friboi, símbolo do holocausto para os protetores e ativistas na causa animal.
Assim como um cão é assassinado para saciar a fome de um chinês, e isso  nos choca, como fica um indiano diante seu bife, sua rabada, seu fígado bovino?
Contra senso e contradições terrenas que só observando para vermos que não há sentido em nada, apenas interesses, culturas  e raízes onde essas não deixam os ditos ir além delas.
Jota caballero

segunda-feira, 1 de dezembro de 2014

ESTUPIDEZ E BOÇALIDADE DE QUEM AINDA HABITA A SEGUNDA DIMENSÃO


Foto de Climatologia Geográfica.
 Foto de Climatologia Geográfica.
 

Foto de Climatologia Geográfica.
 
Climatologia Geográfica adicionou 4 novas fotos.
 
Caso de crueldade com animais em Manaus, moradores de um condomínio de luxo colocaram telas de proteção nas palmeiras e pulverizaram veneno nas folhas para evitar que os periquitos descansassem no local. O resultado, foi a morte de centenas de animais.

‪#‎Descaso‬. Compartilhe Climatologia Geográfica