segunda-feira, 30 de novembro de 2015

Mentiras confortantes ou verdades inconvenientes? Descubra de que lado você está da moeda ao assistir este documentário (gratuito) através do link abaixo.
Apresentado pelo aclamado ator de Hollywood (Joaquin Phoenix ) e trilha sonora do Moby. Imperdível para as pessoas que pensam ou querem pensar fora da caixa.
Assista! Este documentário mudou a minha vida e mudará a sua!
www.terraqueos.org
‪#‎semanaterraqueos‬
Compartilhem e marquem seus amigos que precisam assistir este documentário!

http://www.terraqueos.org/

domingo, 29 de novembro de 2015

Os “poderes curativos” dos gatos

  • gato

O ronronar dos gatos promove a regeneração dos músculos e dos ossos e a simples presença de um pequeno felino pode reduzir até 40 por cento o risco de ataque cardíaco. Estes benefícios já comprovados em estudos estão agora reunidos numa infografia que está a conquistar a internet.

O som do ronronar de 47 felinos (desde tigres a gatos domésticos) foi registado através de um sofisticado equipamento capaz de interpretar a frequência (hertz) dos sons.Infografia revela "poderes curativos" dos gatos
A investigação foi conduzida por Elizabeth von Muggenthaler, presidente do Fauna Communications Research Institute (EUA), e publicada no “New Zealand Veterinary Journal” em 2001.
O que motivou a realização desta investigação foi o facto dos felinos recorrerem ao ronrom tanto quando estão contentes como quando estão muito feridos ou stressados, sugerindo que estes animais podem usar esse som para promover a cura.
Após a análise dos dados recolhidos, a equipa conclui que a frequência do ronrom dos gatos correspondem às frequências que são usadas, na medicina, para tratar fraturas dos ossos, problemas musculares e de articulações.
Thehealingpowerofcatpurrs_51367583d074d
A investigadora revelou que os gatos domésticos e outros felinos de pequeno porte produzem frequências entre os 25 Hz e 150 Hz, as melhores frequências para promover a regeneração de músculos e ossos.
Num outro estudo realizado, ao longo de 10 anos, pelo Centro Médico da Universidade do Minnesota demonstrou que os gatos melhoram a condição física dos doentes cardíacos. A investigação acompanhou mais de 4.000 pessoas e concluiu que os participantes que tinham gatos tinham menos 40% de risco de sofrer um ataque cardíaco.
Embora já tenham sido realizados há algum tempo, os dados destes estudos ganharam, recentemente, um novo protagonismo. Com base nestas e noutras informações (talvez menos científicas), a página Daily Infographics criou um gráfico que resume todos os benefícios atribuídos aos gatos e que tem vindo a ser amplamente divulgado na internet.
A página tem dezenas de comentários de utilizadores, com várias pessoas a darem o seu próprio testemunho sobre os benefícios que consideram obter do convívio com gatos. Uma das utilizadoras, Ângela Stone, garante mesmo que os seus gatos a ajudaram a recuperar, de uma forma que surpreendeu os próprios médicos, de uma grave lesão na coluna.

Você precisa cuidar da saúde do seu bichinho, ele anda assustado, com medo, sistema imunológico baixo, ciúmes e agressivo. Saiba como cuidar, entre em contato:
Selma Flávio – Terapeuta , especializada em florais.
(11) 9-7387.3144

About Selma Flavio

Selma Flávio é terapeuta Naturista, formada em Pedagogia, e educação Transdisciplinar. Além de ser especializada em Terapia Floral. Proporciona atendimentos terapêuticos, individual e em grupo, cursos e workshops. Escritora do livro Os florais e as Deusas, e de muitos outros artigos. Apaixonada pelo que faz, cada vez mais conhece esse universo terapêutico, reunindo várias técnicas para o auxílio ao desenvolvimento humano. E tem como frase “Conhece-te e Cura-te a ti mesmo” - Delfos aos antigos gregos.

quarta-feira, 25 de novembro de 2015

Foto de pit bull ganhando beijos de vacas irá destruir seus estereótipos sobre animais

Por Latrice Harrison / Tradução Alice Wehrle Gomide
Cultura é algo engraçado. Ela domina a forma como pensamos e porque fazemos o que fazemos. A cultura decide quais animais nós devemos comer e quais nós devemos temer.
Frequentes estereótipos negativos são um subproduto de nossa programação cultural. Estereótipos são enganadores e frequentemente acabam sendo simplesmente errados. Esta é uma verdade para os estereótipos de animais, assim como de humanos. Sabendo disto, esta imagem de um pit bull ganhando beijos ilustra dois de alguns dos piores estereótipos que mantemos sobre animais e faz com que fiquemos meio confusos.
PitBull beijos vacasFoto: Imgur
A ideia de que é normal explorar vacas porque elas são animais estúpidos e chatos, que não tem a menor ideia do que está acontecendo a eles é na realidade incorreta. Acontece que as vacas são animais muito inteligentes, com excelente memória. Ela tem mostrado uma habilidade singular em lembrar rostos e localizações, e algumas até tem demonstrado um entendimento do mundo mecânico, usando travas para abrir portões. Sendo animais de manadas, elas também são muito sociais, gostando de brincar e de afeição regularmente. Elas são muito conscientes sobre o mundo ao seu redor, então não há nenhuma desculpa para o terrível tratamento que elas recebem nas atuais fábricas de carne e laticínios.
Os pit bulls, assim como as vacas, também têm muitos estereótipos negativos para serem superados. Muitas pessoas erroneamente acreditam que eles são animais ferozes e agressivos, com mandíbulas que prendem e não soltam, diferentes de qualquer outra raça de cachorro, mas a realidade é que o termo “Pit Bull” nem é uma raça oficial de cão. Eles são procriados a partir de muitos tipos diferentes de cachorros para manter certas características dominantes, mas, fisicamente, não há mandíbulas que prendem e não soltam e nem ferocidade inata. Pelo contrário, os pit bulls são cachorros extremamente inteligentes, com amor por brincadeiras, o que faz com que eles sejam treináveis. Durante a Segunda Guerra Mundial, eles eram cães militares trabalhadores, com o Petey, da série Little Rasclas sendo o cão babá dos EUA por muitos anos até que uma mudança cultural nos anos 80 (originada pelo aumento das brigas de cães) decidiu que eles eram monstros. Hoje, eles são animais temidos, submetidos à legislação específica da raça e barrados em certas cidades. Além disso, pit bulls têm a maior taxa de eutanásia de todas as diferentes raças apontadas pela lei da eutanásia, e recebem tratamento injusto.
Estes animais são ambos as vítimas de fixações culturais que dizem que um deve ser temido e o outro deve ser comido. O fato é que os pit bulls não existem para causar medo, da mesma forma que as vacas não existem para se tornarem carne ou leite ou ambos para as massas. Eles, assim como qualquer outro animal na Terra, existem para encontrar felicidade, amor e aceitação, independente de qual papel a humanidade faz com que eles tenham.
Hoje em dia, a cultura dita que vacas e pit bulls ao redor dos EUA devem ser negados amor e afeição. Felizmente, esta imagem é prova que eles não negam uns aos outros! Estes representantes oficiais dos animais nos fazem questionar todas as nossas noções culturais de comida e temor e perguntar, “Mas, sério mesmo, por que não podemos todos nos dar bem?”.
Fonte: One Green Planet

A RODA DO CARMA COLETIVO NÃO PÁRA

2015 conquista antecipadamente título de ano mais quente já registrado 7 bilhões de seres humanos, consumindo tudo e todos, empurrados por propagandas maciças de ilusões, via mídia imoral. Não há mais como frear o estrago a uma esfera gigantesca, protegida por gazes. Não dá mais para voltar a era da pré-revolução industrial, onde começou a ganância que cegou os homens, os escravizou e se deu início a produção industrial do holocausto animal.

Trilhões de animais mortos até hoje, com requintes de crueldade. Hoje se mata mais animais para todos os fins, em um dia, do que o assassinato em massa de cerca de seis milhões de judeus durante a Segunda Guerra Mundial.

A pecuária uma das maiores responsáveis pelo aquecimento, por questões óbvias e lógicas. A questão natural e cíclica, viria em segundo plano, mas é notório que o desmamentamento fulmina a bio adversidade, assim, lhe tirando defesas naturais, que mantém o equilíbrio e a natureza em harmonia. Arranquem as defesas naturais de seu corpo, e veja o que lhe acontecerá, assim é com o grande corpo, chamado Terra.

O egoísmo dos humanos, é sua própria destruição, enquanto não cessar a mais profunda origem da cegueira humana, essa deve fazer os culpados de hoje, virarem vítimas de amanhã.

Jota Caballero
 
 
 
 
 
 
El Niño forte e aquecimento global são principais fatores por trás de elevação. Recorde era de 2014; registro de temperatura média global começou em...
g1.globo.com
 

sábado, 21 de novembro de 2015


Milionário gasta toda sua fortuna para salvar cães do mercado de carne na China

20 de novembro de 2015 às 9:20

Uma pessoa que faz a diferença no mundo. (Foto: Reprodução)

Uma pessoa que faz a diferença no mundo. (Foto: Reprodução)

Muitas pessoas ficam com dó de animais abandonados ou que sofrem maus-tratos, mas poucos tomam alguma atitude para mudar essa situação. Agora você vai conhecer Wang Yan, um chinês que faz a diferença na vida de milhares de cães.
Depois que seu cachorro sumiu, ele decidiu dedicar todo seu tempo e dinheiro para salvar cachorros que seriam mortos e vendidos como carne para consumo humano.
Tudo começou quando Wang procurou seu cão desaparecido no mercado de carne e ficou horrorizado com a situação.
O chinês, que tem 29 anos, construiu um abrigo de animais na cidade de Changchun em 2012 e já resgatou mais de 2 mil cachorros.
Atualmente, 200 cães estão no local, mas já houve uma época em que mil animais ficaram sob seus cuidados ao mesmo tempo. Sendo que a maioria deles foram adotados por famílias amorosas.
Wang costumava gerenciar um império siderúrgico, um ramo que entrou 14 anos atrás quando começou a crescer. Mas ele já gastou quase toda sua fortuna para ajudar os cachorros e está prestes a ficar endividado.
Apesar disso, o chinês não aceita dinheiro das pessoas que querem adotar um cão, apenas doações de comida e outros produtos necessários para manter o abrigo.
Wan Yan cuida de muitos cães em seu abrigo. (Foto: Reprodução / Daily Mail UK)
Wan Yan cuida de muitos cães em seu abrigo. (Foto: Reprodução / Daily Mail UK)
Uma pessoa que faz a diferença no mundo. (Foto: Reprodução / Daily Mail UK)
Uma pessoa que faz a diferença no mundo. (Foto: Reprodução / Daily Mail UK)

sexta-feira, 20 de novembro de 2015

A ESTÓRIA DE AMOR E LEALDADE DE UM CÃO

"Hachiko"

Achada foto de cão que ficou mais de 10 anos em estação à espera do tutor

13 de novembro de 2015 às 22:00

Foto: Reprodução/ Twitter/ The Japan News
Foto: Reprodução/ Twitter/ The Japan News

Várias décadas se passaram desde que a historia de amor e lealdade de um cachorro de nome Hachiko chegou ao fim. Recentemente, foi descoberta, entretanto, uma nova fotografia do cão que oferece uma ideia da dolorosa vigília do Hachiko.

A história de Hachi começou em Tóquio, em 1920, onde todas as manhãs ele acompanhava o seu tutor, Ueno, até a estação de trem onde ele pegava o transporte para ir ao trabalho. E ele ficava ali, pacientemente esperando o fim do dia até seu tutor voltar do trabalho. Em 1925, Ueno morreu inesperadamente em seu escritório, mas Hachiko continuou o esperando.

Se passaram vários dias, semanas, meses, mas o cãozinho se recusava a abandonar o local sem o seu tutor. A vigília do cãozinho esperando por seu tutor continuou por mais 10 anos e só parou em 1935, quando o Hachiko faleceu.

Existem poucas fotos do cão em sua espera, mas recentemente foi descoberto um registro inédito dele. A fotografia foi tirada por volta de 1934, quando várias pessoas já conheciam a historia do cachorro. Nela, Hashi está descansando em frente a estação de trem, olhando para todos os rostos esperando encontrar o do seu tutor entre eles.

A história de amor e lealdade de Hachiko rendeu um filme inspirado em sua história chamado Hachi: A Dog’s Tale (Sempre ao seu lado)

Fonte: Clube Para Cachorro

terça-feira, 17 de novembro de 2015

Lançamento do Curso de Direito dos Animais para Policiais

EM NOME DE QUÊ?






 
Rosangela Vegana Coelho
Sobre Mariana MG.

Gratidão eterna a todos os meus amigos que nos auxiliaram nessa que foi a missão mais difícil de minha vida.

Os dias que antecederam nossa ida foram de muito trabalho. Recebendo doação, carregando coisas pesadas, pegando a Dutra todos os dias para levar para Pinda, carro lotado... obrigada Cristiano Freitas por sua generosidade e Regiane Vanone por nos socorrer.

Quando combinamos nossa ida eu passei a meditar mais e mais mantras de cura e força. O sofrimento dos meus irmãos animais é como faca cortante em meu coração e eu precisaria estar harmonizada com energias de força e serenidade para não sentir no físico as dores desses seres que são o motivo maior da minha existência nesse tempo e espaço.


No caminho encontramos Marianinho... e paramos na estrada, descemos e corremos para salvá-lo. Ele me mordeu, seus olhos traziam desespero, acolhi em meu colo e isso foi diluindo. Não nos separamos mais. Ele me trouxe alegria em meio aquele mar de tristeza.


Chegamos em Mariana e já começamos a trabalhar. Trabalhei feito homem e amei os animais com a doçura que trago na minha alma. Chorei diversas vezes, longe, longe das pessoas. 


Senti muita tristeza nas galinhas e como desejei trazê-las todas para mim. Meu Deus, por que as pessoas ainda matam esses animais para comer? O que será delas daqui para frente? Eu me senti impotente porque não poderia mudar o destino delas. Pedi perdão, chorei, cantei para elas. Muitas chegaram mortas no galpão e ouvi pessoas fazendo piadas com ela... e pedi perdão pela insensibilidade de alguns humanos. Será que as pessoas que lutaram para salvá-las irão se conscientizar de que o Veganismo é a única proteção que podemos dar a elas e aos outros animais? Bois foram desatolados e depois serão mortos? Animais criados para abate. Vamos refletir sobre isso?
Os cavalos... amei tanto, animais tão sofridos e explorados, todos eles magros, retirados da lama pelos valentes bombeiros e equipes de resgate.


O potrinho... um bebezinho que carregava tanta dor e medo. Eu não conseguia me separar dele, abracei, beijei, cantei, fiquei horas monitorando seu soro, enquanto conversava e dava carinho. Doeu demais em mim ver esse inocente buscar leite em sua mamãe... mas ela não tinha o que oferecer para ele, ela sofreu muito. Minha alegria foi ver que veterinários competentes se uniram para salvar a vida dele. Eu fiz o que me foi determinado, segundo meu Ofício Sagrado, ajudá-lo a diluir a dor e ascender no Amor. 


Os cães, tão desesperados, exaustos, famintos. Ajudei nos canis, na alimentação, medicação, passeio e mais mantras. Cantei mantras em todas as baias.


Os gatos, criaturas místicas, captadores de energias ruis e transmutadores para uma energia mais harmonizada com saúde espiritual. Chorei demais por eles, seres de minha devoção. Fiquei horas com o bebezinho amarelinho, ele chegou extremamente agitado e sofrido. Acalmou-se no meu colo, comeu e depois dormiu.


A número 62. Ela sugou muito de mim ( eu permiti). Eu me liguei a ela e desejei muito poder trazê-la para cá, para ajudá-la na diluição do peso que traz em seus olhos. Eu farei isso por aqui, longe fisicamente mas espiritualmente perto.


Eu senti uma atmosfera de sofrimento em toda região, milhares de vidas ceifadas por uma ação humana, estamos desidratando nosso planeta e ceifando sua energia vital. Quanto perdemos de componentes bióticos? A Natureza irá recuperar isso? 


Quem chorará pelo Rio Doce que é a principal vítima desse desastre? Espécies endêmicas foram engolidas pela lama. Quantos materiais tóxicos estão sendo levados para o mar e mais morte teremos...


Dinheiro algum irá recompor isso. 


Na cidade de Mariana e região, notei a população muito tranquila e, parece, alheia, aos perigos reais caso a terceira barragem se rompa. Ação criminosa de uma imprensa comprada que não mostra a verdade?


Os humanos que mais estão sofrendo com essa tragédia são pessoas simples, pessoas do campo.
Temos muito que chorar por aqui. Queridos, essa é a maior tragédia ambiental em nosso país. Ficaremos calados? Permitiremos que mais "Rios Doces" sejam mortos?


Bem, quero render graças a Aopa Ong ProteçãoAnimal pelo imenso esforço em acolher os nossos irmãos animais. Pessoas lindas, pessoas queridas, generosas e acolhedoras. Eu me senti honrada por lutar ao lado de vocês. Carla Sássi, Jussara Souza, Luana Neves... gratidão eterna pela coragem e força que estão destinando em intenção de salvar vidas. Pretendo voltar e auxiliar nos cuidados com os resgatados.


Gratidão Dra Heloisa Marinho por sua competência como médica que ficou muito evidente naquele ambiente pós-guerra. Ser da sua equipe foi uma honra. Você é especial demais.


Gratidão Daiana Jessica Silva Ramalho, Fernanda Mendes, Dra Iva Juliane e marido. Parabéns prefeitura de São Luiz do Paraitinga por ter disponibilizado o caminhão e motoristas incríveis. 


Estou exausta. Imensamente triste pela morte de milhares seres vivos mas esperançosa de que toda essa tragédia possa romper a barreira que há no coração da humanidade e que a compaixão invada a todos.

...era uma vez um gatinho... (e conte a historia do seu ♥)

Suzete Zete, Carina Tegner da Luz e Ana Celia Vasconcelos.

HABITATBRASIL.ORG QUER UMA PARA TRANSPORTAR E PASSEAR COM SEUS ANIMAIS


09/03/2015 10h40 - Atualizado em 09/03/2015 12h36

Prefeitura de SP negocia triciclos para carroceiros com espaço para cães

Objetivo é ajudar na coleta de lixo; veículos podem circular em ciclovias.
Ideia é que empresa patrocine e utilize espaço com publicidade.

Márcio Pinho Do G1 São Paulo

Protótipo de triciclo para carroceiros (Foto: Márcio Pinho/ G1)Protótipo de triciclo para carroceiros (Foto: Márcio Pinho/ G1)
 
A Prefeitura de São Paulo negocia com uma empresa que fabrica triciclos a criação de um veículo especial para carroceiros. O objetivo é que eles possam usar o triciclo para recolher sucata e ajudar na coleta de lixo da cidade aproveitando um espaço que eles já utilizam, as ciclovias.

O protótipo do triciclo foi desenvolvido pela Dream Bike, empresa que já realiza projeto semelhante em Pernambuco. A versão paulistana tem 4 m de comprimento e 74 cm de largura. Tem ainda duas caixas, uma grande, para o lixo, e outra menor, pensada para o carroceiro colocar itens pessoais ou o cachorro que os acompanha.

O triciclo foi conhecido nesta segunda-feira (9) pelo secretário-adjunto de Direitos Humanos, Rogério Sottili. O prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT), que havia confirmado presença na apresentação, acabou cancelando a agenda.

Segundo André Ribeiro, diretor executivo da Dream Bike, a bicicleta tem várias vantagens. "Ela permite ao carroceiro ganhar tempo e dá uma condição mais humana", disse. Além disso, não polui o meio ambiente como os caminhões coletores, defende o empresário.

O preço estimado do triciclo é de R$ 3.500. A ideia da Dream Bike é vender a ideia para que uma grande empresa patrocine a iniciativa e explore o espaço com publicidade, como já acontecem com as ciclofaixas de lazer.
 
Protótipo de triciclo para carroceiros (Foto: Márcio Pinho/ G1)Protótipo de triciclo para carroceiros (Foto: Márcio Pinho/ G1)
A Prefeitura de São Paulo negocia com uma empresa que fabrica triciclos a criação de um veículo especial para carroceiros. O objetivo é que eles possam usar o triciclo para recolher sucata e ajudar na coleta de lixo da cidade aproveitando um espaço que eles já utilizam, as ciclovias.
O protótipo do triciclo foi desenvolvido pela Dream Bike, empresa que já realiza projeto semelhante em Pernambuco. A versão paulistana tem 4 m de comprimento e 74 cm de largura. Tem ainda duas caixas, uma grande, para o lixo, e outra menor, pensada para o carroceiro colocar itens pessoais ou o cachorro que os acompanha.
O triciclo foi conhecido nesta segunda-feira (9) pelo secretário-adjunto de Direitos Humanos, Rogério Sottili. O prefeito de São Paulo, Fernando Haddad (PT), que havia confirmado presença na apresentação, acabou cancelando a agenda.
Segundo André Ribeiro, diretor executivo da Dream Bike, a bicicleta tem várias vantagens. "Ela permite ao carroceiro ganhar tempo e dá uma condição mais humana", disse. Além disso, não polui o meio ambiente como os caminhões coletores, defende o empresário.
O preço estimado do triciclo é de R$ 3.500. A ideia da Dream Bike é vender a ideia para que uma grande empresa patrocine a iniciativa e explore o espaço com publicidade, como já acontecem com as ciclofaixas de lazer.

segunda-feira, 9 de novembro de 2015