quarta-feira, 8 de julho de 2015

A pegada moral e excremental do abate de bovinos [Dr. phil. Sônia T. Felipe]


  • De todos os documentários que vi, sobre abate de animais para consumo humano, o abate de bovinos mostrado em O pão nosso de cada dia foi o mais impactante. O animal aprisionado naquele colete de barras de ferro, sem poder se mover, sem poder fugir, consciente da violência do abate iminente, com os olhos em midríase, é algo inesquecível. Deveria ser exibido em todas as churrascarias, restaurantes e lanchonetes que servem carnes e seus derivados. Uma pegada moral indelével.

    O abate de bovinos, no Brasil, conforme dados de 2013, foi de 34,4 milhões de cabeças, de um rebanho que chega a 200 milhões de indivíduos.

    Cada bovino desses excreta por dia uns 10 kg de urina e outros 25 de fezes.Multiplica por 365 dias, e temos 2 bilhões de kg de urina por dia, largados sobre o solo ou acumulados nos tanques de recolha. Mas os excrementos desse rebanho não deixam por menos: são 5 bilhões de kg por dia, só dos animais criados em território brasileiro. Agora falta multiplicar esses 5 bilhões de kg de excrementos por 365 dias, e teremos o total acumulado em um ano: 1,825 bilhões de toneladas de excrementos anuais. Mais um cálculo vezes dez e podemos ver o quanto foi despejado pelos bovinos de 2003 a 2013 sobre solo, rios e ares brasileiros. Os animais não têm como escapar disso, pois são forçados ao nascimento, manejados em sua sexualidade, dieta e alojamento para serem mortos e terem suas carnes recortadas em bifes ou trituradas para diversos derivados.

    Se a excreta é tanta, imagina então o montante do que fizeram esses animais comer: quase dois bilhões de toneladas de alimentos cultivados todos os anos para dar aos bovinos, e uns 20 bilhões de litros de água. E depois dizem que tem gente demais no planeta e não tem água nem comida.

    Esse tanto de grãos, cereais e plantas dado de comer aos animais, e damos comida e água para 70 bilhões deles por ano, ao redor do mundo, no Brasil são seis bilhões deles, daria para sustentar outro tanto de humanos e ainda sobraria muita proteína vegetal. Não que eu ache que tenha poucos humanos no mundo ou queira ver mais deles aqui. Não. Acho que os animais já sofrem com o excesso de maldade. Então, prefiro que não haja mais seres humanos servindo de meio reprodutor dessa maldade contra os animais e contra o planeta.

    Veganos desassinaram esse contrato. Pelos animais. Pelo planeta. Para recuperarem a dignidade moral perdida na matança de tantos animais e na devastação desta casa onde apenas passamos uma fração das férias que tiramos para aqui viver, o planeta Terra.
  • Luciana Choma Os resíduos da produção industrial de animais contaminam o meio ambiente com antibióticos, hormonios, aditivos alimentares como cobre , fósforo, arsenico e outros.Se nos Estados Unidos a quantidade de dejeto animal é 130 vezes maior do que a quantidad...Ver mais
    • Sônia T. Felipe É... me engana que eu gosto, não é mesmo? Se crermos que eles nos deixarão saber a devastação que a produção de alimentos animalizados causa à vida dos animais e do planeta, nunca tomaremos nossa decisão ética abolicionista. Não esperemos dos governos quaisquer mudanças, os governos são todos eleitos com os dinheiros do agronegócio.
      Curtir · 3 · 9 h
  • Fabiana M. M. Costa E eu ainda me sentia culpada pq desde q me tornei veg passei a fazer número 2 de 3 a 4 ao dia. Agora vejo que é insignificante em relação ao impacto que deixei de causar nesses 15 anos sem comer carner de bovinos. Gratidão por nos tirar da ignorância, Sônia.
  • Clélio Muniz Pires Sou seu neófito e de alguns outros que empunham a bandeira da dignidade contra a matança de animais, suas peles, leite e derivados, mas do pouco que li, vejo que um dos maiores terrores para esta questão é a MONSANTO - parte da engrenagem da Nova Ordem Mundial, sinônimo de escravidão e aniquilamento de toda a raça humana em breve tempo. Oxalá eu tenha entendido tudo errado.