terça-feira, 15 de março de 2016

VEGANISMO

“Os fujões pseudamente piedosos não passam, aliás, de vulgares cooperadores das mesmas cenas tétricas do sacrifício do animal; o consumidor de carne também não passa de um acionista e incentivador da proliferação de açougues, charqueadas, matadouros e frigoríficos. O que não matam animais ou aves, por piedade, mas digerem jubilosamente os seus despojos, tornam-se co-participantes do ato de matar, embora o façam à distância do local do sacrifício; são, na realidade, cooperadores anônimos da indústria de carnes, visto que incentivam o dinamismo fúnebre dos matadouros e do trucidamento injusto daqueles que Deus também criou para a ASCENSÃO ESPIRITUAL.”

Xênia de Abreu De quem é a citação, Armando Leopoldo Fernandes? Ramatís?
Armando Leopoldo Fernandes
Armando Leopoldo Fernandes Essa é do livro "Fisiologia da Alma de Ramatis", Tenho outras do livro "Vegetarianismo e Ocultismo de Annie Besante e C W Leadbeater e tenho as minhas que invento.
Xênia de Abreu
Xênia de Abreu Então, tb tenho este livro e reconheci o estilo de Ramatis.
Xênia de Abreu
Xênia de Abreu E, sim, na Teosofia de Blavatsky e seus seguidores tb encontramos apoio ao vegetarianismo.
Armando Leopoldo Fernandes
Armando Leopoldo Fernandes Essas tiradas e outras fazem parte de palestras que tenho montadas e que apresentei em Loja Teosófica e Centros espíritas
 
 Armando Leopoldo Fernandes
4 h · 
 
Comparem Açougue x Hortfruti:

Matadouro x Templo / Igreja
Fruta, colorida, perfumada, doce x Pedaço de carne, músculo, vísceras, sanguinolento, purulento, fétido, putrefato, morte, dor, sofrimento, crueldade.
No campo da alimentação a única fonte de pureza é o Vegetarianismo,
Melhor nutrição, mais saúde e menos doença, mais natural.
Mais ética e espiritual,
Mais econômica.
Mais respeito ao meio ambiente, a natureza e a vida.

Armando Leopoldo Fernandes
4 h · 
 
Razões para o Vegetarianismo

Comuns e Físicas
Pessoais / Egoístas - mais saúde, menos doença, mais econômica, mais natural, menos paixão / instintos animalizados.
Morais / Altruístas – preservação do meio ambiente, sensibilidade e compaixão para com os animais, respeito a dignidade profissional (“matador”), não alimentar o comércio da dor, sofrimento e crueldade. Não ser cúmplice.
Ocultas / Invisíveis e Espirituais, aquelas que não enxergamos, mas com sensibilidade e análise acurada podemos deduzir. Também podem ser: pessoais / egoístas ou morais e altruístas.
Influências na vida diária.
Conseqüências Pós desencarne.
Obstáculos à evolução espiritual.
Curtir

Armando Leopoldo Fernandes
Armando Leopoldo Fernandes Xênia de Abreu, essas colocações são do livro "Vegetarianismo e Ocultismo (Teosofia), escrito início sec xx
Curtir · Responder · 1 · 4 h
Escreva um comentário...
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
Talita Silva Xavier para Ogros Veganos
16 h ·

Não to sabendo lidar com esse bolinho...
É cenoura com recheio de chocolate amargo e cobertura de brigadeiro - a base é inhame, inventei agorinha, não parece inhame, parece luz, raio, estrela e luar. Manhã de sol. Meu iá iá, meu ioiô.
As receitas estão no blog puro amor com as fotos, um gif e mais um monte de coisa porque eu me empolgo nos posts!
http://amodeliciasveganas.com/…/bolinho-de-cenoura-com-bri…/
A receita do bolo
2 xícaras de farinha de trigo
1 colher de sopa de fermento [ou 1/2 colher de cremor de tártaro e 1/4 de colher de bicarbonato]
3/4 xícara de água
3/4 xícara de açúcar
1 cenoura grande
1/4 xícara de óleo
-
Pra enfarinhar a forma:
cacau + farinha, em partes iguais
Liga o forno na temperatura mais alta, deixa aquecendo.
Na tigela: Farinha e fermento. Mistura.
Bate no liquidificador: água, açúcar, cenoura, óleo. Bate até ficar uma pasta, mas não vai ficar uniforme.
Junta a galera do liquidificador e da tigela. Mistura, mas não muito porque a gente não quer ativar o glúten.
Se quiser bolinhos, leva pro forno em forminhas. Se quiser bolão, leva pro forno em formonas.
Eu untei com óleo e enfarinhei com uma mistura de cacau e farinha 50/50. Pro bolinho desenformado ficar com um toque de cacau em volta.
Forno +- 200ºC. Uns 20~25 minutos.
O brigadeiro
2 xícaras de inhame cozido [usei 5 inhames pequenos]
1 xícara de açúcar [usei cristal dessa vez pq não tinha demerara]
100g de chocolate em barra picado [usei Melken]
1 colher de chá de baunilha
2 colheres de sopa de leite vegetal [usei coco]
1 colher de cacau ou chocolate em pó
Brigadeiro
Coloca o inhame ainda quente no liquidificador - isso é importante pra derreter o chocolate. Aí, coloca todos os ingredientes, menos a baunilha. Bate bastante. Vai parecer que tá bom, aí, bate mais um pouco porque ficam uns grânulos do inhame. Aí, se quiser parar, você tem um danete. Se levar pra panela, vai virar brigadeiro.
A gente quer brigadeiro, então, é fogo!
Coloca o creme numa panela, leva pro fogo. Aí, deixa o fogo alto até ferver, depois, abaixa. Mexe até formar um vão no creme ao passar a colher no fundo da panela. O vão deve demorar 1-2 segundos pra fechar. É tipo aquela cena do Mar Morto da novela da Record, sabe?
Coloca a baunilha e pronto. Aí, leva pra geladeira num potinho untado.
Depois que esfriar, o gosto do chocolate vai ficar mais acentuado e a textura fica linda.
Aí, enrola nos confeitos.
Como eu montei os bolinhos:
Faz o brigadeiro - deixa esfriar.
Faz o bolo. Com a massa ainda quente, coloquei um pedacinho de chocolate em cada bolinho. Ele vai derreter.
Enrola os brigadeiros, passa no confeito. Aperta em cima do bolinho.
Aí, coloquei um pedaço de chocolate sobre cada bolinho. Ficou brilhoso assim porque minha mão tava suja de brigadeiro.