quinta-feira, 3 de março de 2016

03/03/2016 às 11:55 – 3.804 visualizações

Porcos do Rodoanel: ativistas explicam uso do dinheiro arrecadado e falam da situação atual

Assista ao vídeo inédito.



No dia 25 de agosto de 2015, um acidente envolvendo uma carreta de porcos chamou a atenção de todo o país. Por ter acontecido na região do Rodoanel, bem perto da cidade de São Paulo, o caso recebeu cobertura de toda a imprensa e ganhou os noticiários. O resto da história todos sabem (relembre aqui).
Na ocasião, uma campanha de financiamento coletivo arrecadou cerca de R$ 280.000,00 que, subtraindo-se taxas e encargos, transformaram-se em R$ 265.862,57. Uma tabela foi criada na época para que o uso do dinheiro fosse de conhecimento público. A tabela é atualizada até hoje, como prometido, e pode ser acessada no link a seguir (abrir tabela).
Os porcos resgatados no caso do Rodoanel foram levados às pressas para um santuário localizado em São Roque, no interior de São Paulo. O local não tinha estrutura para receber os animais, mas não havia outra alternativa. Ou os animais seriam levados para lá para receberem cuidados, ou morreriam. O local que até hoje abriga esses animais e centenas de outros chama-se Santuário Terra dos Bichos (Facebook).
No primeiro dia do mês de outubro de 2015, uma ação da Polícia Civil em conjunto com ativistas resgatou dezenas de outros porcos de um abatedouro clandestino em Diadema, região metropolitana de São Paulo. Esses animais também foram levados para o Santuário Terra dos Bichos, que tem atualmente 90 porcos. Ao todo, o local abriga mais de 500 animais de diversas espécies, todos resgatados de maus-tratos.
Em um vídeo inédito, as ativistas Cintia Frattini e Adriana Greco explicam como está sendo usado o dinheiro doado por milhares de pessoas de diversas partes do país. Cintia, que é a dona do santuário, e Adriana, que ajuda nas tarefas de administração do local, contam também que foi preciso criar uma nova campanha de arrecadação para continuar ajudando os porcos resgatados no Rodoanel e todos os outros animais do santuário.
Como o santuário não tinha estrutura quando recebeu os porcos, obras emergenciais começaram a ser feitas. Atualmente existem 90 porcos no santuário entre os que chegaram dos dois casos já citados e os nascidos no local. Algumas porcas que estavam a caminho do matadouro no caminhão acidentado estavam com filhotes na barriga e eles nasceram livres, no santuário (foto).
Para cuidar de todos esses animais com água, comida e abrigo, já foram gastos mais de R$ 270.000,00 e todos os dias surgem novas demandas. Nesta quinta-feira (3), somando todas as despesas, incluindo algumas que ainda nem entraram na tabela pública, o santuário está no vermelho, devendo cerca de R$ 12.000,00. Apenas o poço artesiano construído, com 300 metros de profundidade, gerou um custo de cerca de R$ 110.000,00 incluindo a compra da bomba e outros itens necessários para viabilizar a água.
Na época do resgate dos porcos do Rodoanel, estimou-se que cada um deles demandaria cerca de R$ 500,00 por mês. Atualmente, após os investimentos mais pesados em infraestrutura, os 90 porcos do santuário demandam aproximadamente R$ 18.000,00 todo mês, algo em torno de R$ 200,00 cada um. Além de ração apropriada e outros alimentos, eles recebem água, abrigo e tratamento veterinário que, somados, geram os custos estimados mensais. O amor que eles recebem no santuário, no entanto, é grátis e abundante.
Como ajudar
Uma campanha foi lançada no site Vakinha para quem quiser ajudar a manter esses animais com qualquer valor (doe aqui).
Assista ao vídeo | Youtube
https://www.youtube.com/watch?v=kXqa5Qezxzc
O vídeo que você assiste abaixo foi gentilmente produzido por Ana Talavera (produção), Julio Sena (direção e finalização) e Tarsila Bazilio (edição). Sem o trabalho voluntário desses profissionais, o vídeo não teria acontecido.

Ir para a capa do Vista-se (clique aqui).