quinta-feira, 3 de março de 2016

Ativistas lutam contra ONG que quer matar 21 cães no Canadá

Tradução de Alice Wehrle Gomide
Canada ativistas contra eutanasia caesAtivistas pelos direitos dos animais estão protestando contra uma solicitação da SPCA de Ontário para eutanasiar 21 cães apreendidos durante uma suposta arena de rinha de cães cerca de Tilbury. (Foto: Shutterstock)

Advogados estão se unindo para contestar um pedido da organização de bem-estar animal de Ontário ao tribunal para exterminar 21 cães que foram apreendidos em um suposto local de rinha de cães.
A Sociedade de Prevenção à Crueldade aos Animais de Ontário (OSPCA), uma ONG com poderes de polícia, já matou três cães por razões médicas, aparentemente por recomendação de dois veterinários. A sociedade disse que a solicitação para eutanasiar 21 cães da raça pit-bull se deve a problemas comportamentais irreconciliáveis.

De acordo com Alison Cross do OSPCA, os cães pit-bull não conseguirão ser adotados por nenhum lar em Ontário devido à lei municipal proibindo a tutela desse tipo de cachorro.

“No fim das contas este é o procedimento mais humano e é pelo interesse da segurança pública”, Brad Dewar da OSPCA disse em uma entrevista.

Em uma aliança sem igual, vários advogados representando grupos de direitos dos animais disseram que tentarão intervir no caso junto ao advogado representante das quatro pessoas acusadas de gerenciar o suposto local de rinha de cães.

“É terrível ver a agência que reforça a lei encarregada de proteger os animais indo à corte para na realidade tentar executá-los”, disse Camille Labchuk, diretora executiva do Animal Justice, uma organização pelos direitos dos animais que está considerando uma intervenção legal nesse caso.
“Esses cães são vítimas inocentes de uma suposta operação de rinhas de cães”.

Labchuk disse que sua organização também está considerando intervir no caso para dar uma voz legal a esses animais. É uma ocorrência rara uma organização pelos direitos dos animais intervir na corte, mas Animal Justice teve um sucesso recente ao intervir em um caso na Suprema Corte sobre barbaridade.

Ken Marley, que representa as quatro pessoas acusadas no caso – elas coletivamente enfrentam mais de 300 acusações relacionadas à tutela de pit bulls, crueldade animal e delitos relacionados com armas – disse que irá “vigorosamente se opor à eutanásia de qualquer outro dos cães de seus clientes”.

“É perturbador para mim que três deles já foram mortos sem um mandado judicial”, Marley disse, acrescentando que ele e seus clientes não ficaram sabendo sobre essas mortes, que ocorreram em dezembro, até duas semanas atrás quando ele recebeu a aplicação judicial da OSPCA.

“Usualmente, se há acusações com base na Lei de Responsabilidade dos Donos de Cães, a morte dos cães será determinada após a conclusão do julgamento, mas o promotor está tentando fazer com isso aconteça mais rapidamente”.

Em outubro do ano passado, a polícia de Chatham-Kent e a OSPCA invadiram uma casa no sudoeste de Ontário – Tillbury Township – e apreenderam 31 cães pit bull, que são proibidos na província, alegando que eles faziam parte de uma rinha de cães.

Oponentes querem que os cães sejam removidos
Elizabeth Quinto, uma advogada em Cambridge, Ontário, disse que está planejando intervir em nome de várias organizações de resgate de cães e de direitos dos animais.

“Eu quero que a OSPCA permita que uma terceira parte, um resgatista respeitável ou um especialista respeitável na avaliação de comportamento, venha, avalie positivamente os cães e seja autorizado a resgatá-los e levá-los para fora da província”, ela disse.

Dewar disse que isso provavelmente não irá acontecer, explicando que apesar dos cães estarem sob os cuidados da OSPCA, eles ainda são propriedade dos tutores. Ou os cães serão exterminados se a corte concordar com isso, ou eles permanecerão na OSPCA.

“Nós não temos autoridade legal para retirar esses cães de nossos cuidados, eles devem permanecer aqui, a não ser que a decisão da corte seja eutanásia-los humanamente”, Dewar disse, acrescentando que os cães estão no momento em um local não revelado.

Ele disse que foi uma decisão difícil pela OSPCA proceder com a solicitação para matar os cães.
“Nenhuma agência envolvida na saúde e no bem-estar dos animais quer ver animais removidos de uma situação ruim para depois terem o destino de ser eutanasiados humanamente”.

Labchuk enviou uma carta para a OSPCA, implorando que a sociedade permita uma avaliação independente dos cães, dizendo que existem muitas organizações de resgate que estão dispostas a ajudar.

Ela citou o sucesso de organizações similares que interviram para trabalhar com cerca de 50 cães apreendidos de uma famosa arena de rinha de cães nos EUA operada pelo antigo jogador da Liga Nacional de Futebol Michael Vick.

“Todos com exceção de um dos cães de Michael Vick foram reabilitados com sucesso”, ela disse. “Esses caso serve para mostrar o progresso incrível que cães podem fazer quando recebem a chance”.
Vick se declarou culpado pelas acusações de rinha de cães e passou 18 meses em uma prisão federal.

Grupos pelo bem-estar animal protestam
A solicitação da OSPCA irá à corte no dia 10 de março, quando uma data será estipulada para se ouvir o caso. Dewar disse que sete outros cães apreendidos estão indo bem e não serão eutanasiados.
Grupos de resgate e pelo bem-estar dos animais protestaram sobre o assunto do lado de fora do escritório da OSPCA em Newmarket, Ontário, no último dia 20.

“Nós já nos oferecemos para receber todos os 21 cães em nosso santuário”, disse Clare Forndran, que trabalha em um santuário de cães resgatados naquela área. “Enquanto eles estiverem sob nossos cuidados, nós iremos prover cuidado veterinário e toda a reabilitação que eles precisam para depois fazer a transição para lares fora de Ontário e de províncias que são afetadas por legislações específicas de raças”.