terça-feira, 6 de outubro de 2015


Tutor entra escondido em hospital com cadela para esposa em estado terminal poder se despedir

Alguns dias depois do momento emocionante, a esposa faleceu.

4 out 2015 - 17:22
Escrito por Samantha Kelly
Jornalista do Portal do Dog

Em uma história absolutamente devastadora, o usuário Mellifluous_Username, da rede Reddit, compartilhou como ele entrou escondido no hospital levando sua cadela dentro de uma mala para que sua esposa pudesse se despedir. Um ano depois de uma operação malsucedido, ficou aparente que ela não teria muito mais tempo. Mesmo estando sedada por boa parte do tempo, ela conseguiu convencer seu marido a levar o cão da família para se despedir. O relato emocionante você confere abaixo:
Minha esposa ficou no hospital após uma cirurgia muito invasiva. O prognóstico não era bom. Ela podia falar, mas não estava comendo ou bebendo, e dependia completamente de terapia intravenosa e analgésicos rígidos. Nas ocasiões raras em que ela conseguia falar, ela me convenceu a entrar escondido com nossa cadela em seu quarto privado, para que ela pudesse vê-la ‘uma última vez’.
Nossa cadela pesa cerca de 22 kg, é da raça de Pastor Australiano, e eu acabei descobrindo que ela se encaixa muito bem em uma mala de tamanho mediano. Eu coloquei ela na mala com o ziper aberto até chegarmos ao hospital. Quando chegamos, eu ‘expliquei’ que eu iria abrir o zíper em poucos minutos e que ela poderia ver sua mamãe.
Incrivelmente, ela não choramingou, latiu ou fez qualquer barulho. Quando eu passei pelas esfermeiras de plantão, eu lhes disse que estava simplesmente trazendo itens para deixar minha esposa mais confortável. ”Não tem problema”, elas disseram.
Quando entramos no quarto, minha esposa estava dormindo. Eu abri o zíper da mala, e ela imediatamente pulou na cama, cuidadosamente se posicionando sobre o peito de sua mãe humana, de alguma forma, evitando os fios. Ela se posicionou de uma forma que poderia olhar diretamente nos olhos da minha esposa, e assim permaneceu completamente imóvel, até cerca de vinte minutos depois, quando minha esposa acordou e começou a gemer de dor.
Ela imediatamente começou a lambê-la, e em silêncio gemeu, como se soubesse que latir definitivamente iria nos colocar em encrenca. Minha esposa abraçou-a por quase uma hora, sorrindo o tempo todo. Nós fomos descobertos por uma enfermeira que ficou tão tocada que prometeu não contar. Quando minha esposa finalmente voltou a dormir, eu coloquei nossa cadela de volta na mala, e ela obedeceu na hora.
Minha esposa, infelizmente, faleceu alguns dias depois, e como se isso não fosse triste o suficiente, agora, sempre que eu pego a mala, nossa cadela pensa que estamos indo vê-la novamente.

Imagem ilustrativa. Foto: Reprodução.
Imagem ilustrativa. Foto: Reprodução.

4 out 2015 - 17:22